Nova Carta dividirá o país, afirma estudo

Um estudo divulgado ontem pelo Observatório Político da América Latina e do Caribe afirmou que a nova Constituição da Bolívia deve "polarizar inevitavelmente" a população do país. Segundo o texto - elaborado pelo instituto de estudos políticos Sciences Po, de Paris -, a nova Carta não leva em consideração que vivem na Bolívia outras etnias, além dos indígenas, que serão prejudicadas pelo projeto constitucional."A inclusão de comunidades indígenas tradicionalmente à margem do Estado obriga a disponibilidade de formas de participação política diferentes das recomendadas pelo sistema representativo liberal", afirma o documento.O estudo também mostra uma contradição no texto constitucional, afirmando que, enquanto o presidente Evo Morales busca "deixar para trás as estruturas liberais" para reconhecer a diversidade dos povos e culturas que existem no país, a nova Carta não intensificará essa descentralização.Além da Bolívia, o documento também analisa as eleições municipais realizadas no ano passado em outros países da região, como Brasil, Chile, Nicarágua e Venezuela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.