Nova constituição do Egito garante igualdade, diz Morsi

O presidente do Egito, Mohammed Morsi, minimizou neste sábado os problemas econômicos do país e afirmou que a nova constituição garante a igualdade para todos os cidadãos. As declarações de Morsi foram feitas em discurso ao Senado, que tem assumido responsabilidade pelo poder legislativo até que um novo parlamento seja eleito no período de dois meses.

LUCAS HIRATA, Agência Estado

29 de dezembro de 2012 | 13h01

"Todos são iguais perante a lei nesta constituição", disse o presidente sobre o documento, acrescentado que haverá "liberdade para todas as pessoas, sem exceções". A constituição tem sido severamente criticada por ativistas de direitos humanos e pela oposição secular do país. Segundo eles, o documento fracassou em garantir direitos às mulheres e possui potencial para limitar a liberdade de expressão e religiosa.

"Indicadores gerais sobre a situação social e econômica têm mostrado um progresso notável", afirmou Morsi, apesar das preocupações com uma crise econômica. Com o enfraquecimento da moeda egípcia e a suspensão de um empréstimo de US$ 4,8 bilhões do Fundo Monetário Internacional (FMI), depois de semanas de protestos que se tornaram, muitas vezes, violentos, o país está no limite de uma crise, dois anos após o declínio da economia provocada pelo levante que retirou Hosni Mubarak do poder. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.