Nova denúncia atinge Sarah

Governo de Wasilla cobrava por teste de vítimas de estupro

REUTERS, AP E NYT, O Estadao de S.Paulo

23 de setembro de 2008 | 00h00

A rede CNN revelou ontem que a cidade de Wasilla, no Alasca, exigia o pagamento de exames médicos às mulheres que apresentavam queixa por estupro. De acordo com testemunhas e políticos locais ouvidos pela CNN, a cobrança das vítimas de violência sexual ocorreu durante o período em que Sarah Palin, candidata a vice na chapa do republicano John McCain, foi prefeita da cidade.Assessores de McCain negaram ontem que ela soubesse da cobrança, mas Eric Croft, um deputado democrata que elaborou uma lei estadual abolindo a prática, disse que a questão não poderia ter sido ignorada pela prefeita. "Ela era chefe do Executivo de uma cidade de 7 mil habitantes. Como não poderia saber disso?", questionou Croft.Afastada da polêmica, Sarah está em Nova York onde se encontrará hoje com os presidentes da Colômbia, Álvaro Uribe, do Afeganistão, Hamid Karzai, e da Geórgia, Mikhail Saakashvili.As reuniões, anunciadas pela campanha de McCain, pretendem destacar as credenciais em política externa de Sarah, aproveitando a presença de chefes de governo de vários países durante a abertura da Assembléia-Geral da ONU. Antes de se encontrar com alguns dos principais líderes mundiais, porém, Sarah terá aulas de política externa com o ex-secretário de Estado dos EUA Henry Kissinger, também em Nova York (mais informações no Caderno de Economia).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.