Nova-iorquinos terão leis mais rigorosas sobre fumo e bebida

Os nova-iorquinos deverão respeitareste ano leis mais rigorosas sobre o fumo em lugares públicos ede álcool durante a condução de veículos, após a assinatura,ontem, de duas normas referentes ao assunto. O prefeito deNova York, Michael Bloomberg, referendou uma emenda à leiSmoke-Free Air, que estende a proibição de fumar em lugarespúblicos a bares, restaurantes e clubes noturnos, entre outrosestabelecimentos com empregados assalariados. Os fumantes afirmam que a lei viola seus direitos e algunsproprietários de bares e casas noturnas dizem que isso vaitirá-los do negócio. Mas Bloomberg, um ex-fumante, considera queproteger os direitos dos fumantes "secundários" é maisimportante. "Eu não consigo pensar em qualquer outra coisa quenós, que fomos eleitos para servir o povo, possamos fazer emnossas vidas inteiras que terá o tipo de impacto destalegislação", disse ontem Bloomberg. "Isto conservaráliteralmente milhares de vidas." O prefeito afirma que a lei protegerá os trabalhadoresnão-fumantes da cidade "dos efeitos mortais" de inalar afumaça de cigarros, além de combater doenças associadas ao fumo.A nova norma entrará em vigor em 30 de março e prevê algumasexceções à proibição de fumar, como no caso de locais onde seconsomem charutos, bares ao ar livre, salas equipadas comsofisticados sistemas de ventilação ou estabelecimentosfreqüentados só por seus proprietários.Direção - Enquanto isso, o governador George Pataki assinou umalegislação que reduz o limite do álcool no sangue de 0,10% para0,08%, colocando a legislação em conformidade com outrosEstados. Ele considera que isso permitiria reduzir em 12% asestatísticas sobre morte no trânsito, evitando pelo menos 40mortes por ano. A nova lei deve entrar em vigor apenas emnovembro, mas o governador promete adiantar esse prazo. "Embora durante os últimos 20 anos tenha se reduzido em NovaYork em 71% os acidentes relacionados ao consumo de álcool, umasó morte é muito", afirmou Pataki. Em 1981, houve 1.107 mortesno Estado de Nova York em acidentes causados por motoristasembriagados, enquanto que em 2001 houve 315 vítimas, segundoestimativas oficiais. Os números situam Nova York como oterceiro Estado com menor índice de fatalidades relacionadas como álcool, depois de Vermont e Utah. A nova norma entrará emvigor em 1º de março e converterá esse Estado no trigésimosegundo dos Estados Unidos a reduzir a 0,08% o nível máximo deálcool permitido aos motoristas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.