Nova lei de comunicação da Itália beneficia Berlusconi

O Senado da Itália aprovou em votação final um projeto de lei que reduz as restrições à propriedade de veículos de comunicação e mídia. Segundo críticos e analistas, o projeto beneficia diretamente o império de comunicações mantido pelo primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi. Para a oposição centro-esquerdista, o projeto foi feito sob medida para Berlusconi.O primeiro-ministro, que também é o homem mais rico da Itália, é dono de um império empresarial que abrange desde um time de futebol (o Milan) a companhias de seguro e imobiliárias. Entretanto, o núcleo de seus negócios gira em torno das comunicações. Ele é dono das maiores redes de tevê privadas da Itália, possui revistas e outras publicações, além de estúdios de cinema e agências de publicidade.Simpatizantes da coalizão conservadora que sustenta Berlusconi no poder rejeitaram as críticas de que o projeto teria sido escrito para beneficiar o primeiro-ministro. Segundo eles, a nova lei fará rejuvenescer a imprensa italiana e a tornará mais competitiva.A Mediaset, da qual Berlusconi possui 49% das ações, controla 66% do mercado publicitário da Itália e tem 43% de audiência na TV. Seus principais concorrentes são os três canais via satélite operados pela RAI, a TV estatal italiana. A lei abre caminho para a privatização gradual da RAI, o que poderia começar já em 2004.O presidente da Itália, Carlo Azeglio Ciampi tem 30 dias para sancionar a lei. Ele havia apelado ao Parlamento para que a nova legislação incentivasse o pluralismo. Se a lei for vetada, o projeto voltará ao Parlamento e os deputados e senadores poderão derrubar um eventual veto de Ciampi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.