Ramon Espinosa/AP
Ramon Espinosa/AP

EUA retiram Cuba de lista de patrocinadores do terrorismo

Medida se torna efetiva a partir desta sexta e é passo fundamental na retomada das relações diplomáticas entre os dois países 

O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2015 | 13h10

WASHINGTON - Os EUA retiraram oficialmente o nome de Cuba da lista do Departamento de Estado dos países que promovem o terrorismo nesta sexta-feira, 29, em um passo fundamental para a retomada das relações diplomáticas entre os dois países. 

A medida ainda precisa ser publicada no diário oficial dos EUA, chamado Registro Federal, mas o governo afirmou que a retirada se torna efetiva "imediatamente".

"O prazo de 45 dias de notificação ao Congresso acabou e o secretário de Estado tomou a decisão final de rescindir a nomeação de Cuba como Estado promotor do terrorismo, que se torna efetiva a partir de hoje (sexta)", afirmou o porta-voz do Departamento de Estado, Jeff Rathke, em uma nota.

Os EUA ainda têm "significativas preocupações e divergências" com Cuba, mas nenhuma justifica a permanência de Cuba na lista, segundo a chancelaria americana.

"Cuba não proporcionou nenhum apoio ao terrorismo internacional nos últimos seis meses e, além disso, proporcionou garantias de que não apoiará atos de terrorismo no futuro", justifica a nota do Departamento de Estado sobre a retirada da ilha da lista - na qual estão Irã, Síria e Sudão.

Decisão. No dia 14 de abril, após sua histórica reunião com o presidente cubano, Raúl Castro, realizada no Panamá durante a Cúpula das Américas, Obama anunciou sua decisão de eliminar Cuba dessa lista, na qual a ilha está desde 1982.

A revisão da lista foi encomendada por Obama em dezembro do ano passado a seu secretário de Estado, John Kerry, o que levou o governo americano a determinar que já não há motivos para que a ilha continue nela. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.