Nova onda de seqüestros põe Colômbia em alerta

Pelo menos 41 pessoas foram feitas reféns nos últimos quatro dias em três departamentos (Estados) da Colômbia, em uma nova onda de seqüestros supostamente promovida por guerrilheiros esquerdistas. Em um seqüestro em massa, 27 turistas foram capturados em Baía Solano, uma reserva natural do departamento de Chocó, na costa do Pacífico. Fontes da força naval da região atribuíram a ação a um grupo armado, aparentemente guerrilheiros esquerdistas. O rapto ocorreu na segunda-feira, quando os turistas, todos colombianos, participavam de uma pescaria e excursão ecológica pela região selvagem, cercada de praias paradisíacas. Eles foram abordados por supostos guerrilheiros vestidos em uniformes de campanha e usando armas de cano longo.O departamento de polícia e a Marinha estão fazendo buscas mas, segundo declarou o comandante da força na região, almirante Fernando Elías Román, à cadeia Radionet, "a dificuldade nas comunicações ainda não nos permitiu ter algo mais preciso". Enquanto alguns moradores da zona atribuíram o rapto ao esquerdista Exército Popular de Libertação (EPL), outros o atribuem ao Exército de Libertação Nacional (ELN), também de esquerda. Em uma zona rural do município de Chigorodó, no departamento de Antioquia, outro grupo de homens armados seqüestrou na segunda-feira nove turistas. As autoridades militares em Medellín, capital de Antioquia, responsabilizaram as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pelo seqüestro. Entre sábado e domingo, foram raptadas mais cinco pessoas - quatro delas em Antioquia e uma no departamento de Cundinamarca, informou a polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.