Nova onda de violência deixa pelo menos dez mortos no México

Pelo menos dez pessoas foram assassinadas nas últimas 24 horas em diversos lugares do México, incluindo seis homens cujos cadáveres de pés e mãos atadas estavam em uma caminhonete, informaram fontes oficiais. As autoridades do estado de Nuevo Leon, na fronteira com os EUA, encontraram seis cadáveres na estrada que une a cidade mexicana de Monterrey à fronteira. Os seis cadáveres foram localizados pela Polícia em uma caminhonete estacionada na estrada, perto da localidade de General Bravo e da fronteira com o Texas, informou a Procuradoria de Justiça de Nuevo Leon, estado do qual Monterrey é capital. Os cadáveres que estavam algemados ainda não foram identificados, e o múltiplo assassinato corresponde "aos padrões do crime organizado", declarou a EFE um porta-voz da Promotoria. Em Nuevo Leon e o estado de Tamaulipas operam grandes grupos rivais de narcotraficantes que disputam a tiros o controle das rotas de envios de cocaína e heroína aos Estados Unidos e Europa, segundo as autoridades. Por outro lado, três pessoas morreram baleadas na cidade de Nuevo Laredo, em Tamaulipas, na fronteira com a americana Laredo, no Texas, em fatos atribuídos em princípio ao crime organizado, segundo fontes policiais. Duas das vítimas foram atacadas em uma rua de Nuevo Laredo, e um cadáver foi encontrado em uma caminhonete estacionada em frente a um templo religioso em um bosque próximo à cidade. Com estes três casos chegou a 51 o número de mortes violentas registradas este ano em Nuevo Laredo, onde rege o plano de segurança "Fronteira norte". O plano tenta conter a violência atribuída aos traficantes de drogas, seqüestradores e outros criminosos. "Fronteira norte" entrou em vigor há duas semanas como passo seguinte à operação policial e militar "México seguro", iniciada em meados de 2005 pelo Governo do presidente Vicente Fox, em Tamaulipas, Sinaloa e outros estados afetados pela violência. Além disso, a Polícia do estado de Veracruz informou hoje da morte violenta de um homem no município de Nautla e investiga se trata-se de um proeminente empresário da região, como indicam emissoras de rádio. Em Veracruz também operam narcotraficantes e seqüestradores, segundo as autoridades federais.

Agencia Estado,

27 Março 2006 | 01h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.