Nova Orleans cogita toque de recolher para deter assassinatos

As autoridades de Nova Orleans, dispostas a acabar com uma onda de assassinatos na cidade, disseram no sábado que apresentarão em breve medidas contra o crime que podem incluir um toque de recolher. Pelo menos sete pessoas foram mortas na primeira semana do ano.O assassinato, na quinta-feira, de uma jovem cineasta, Helen Hill, aumentou a pressão sobre a polícia. Ela foi morta a tiros em sua casa, próxima do Bairro Francês, durante uma possível tentativa de assalto. Seu marido, Paul Gailiunas, médico, foi encontrado segurando o filho do casal, de dois anos. Gailiunas também foi baleado, mas sobreviveu.Um toque de recolher do pôr-do-sol até o amanhecer foi imposto na cidade nos dias caóticos que se seguiram ao furacão Katrina, que causou enchentes e destruição na cidade do sul dos Estados Unidos em agosto de 2005. Riley disse que o toque de recolher funcionou na ocasião.Nova Orleans teve sua população reduzida pela metade depois do Katrina, para 480 mil habitantes. Em 2006, a cidade teve 161 homicídios, quatro vezes a média nacional de homicídios per capita, de acordo com estatísticas do FBI.Nagin repetiu o apelo feito pela polícia na quinta-feira para que os cidadãos ajudem, dando informações sobre os assassinatos. Nenhuma testemunha apareceu por enquanto. "Se quisermos resolver este problema, teremos de ter mais participação dos cidadãos", disse o prefeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.