Nova rebelião no Chile deixa 20 pessoas feridas

Os detentos da prisão de San Miguel, no Chile, promoveram uma breve rebelião na noite de sexta-feira, mas a manifestação foi rapidamente sufocada, de acordo com o chefe da polícia penitenciária chilena, Luis Masferrer. Segundo ele, também foi necessária a ajuda dos bombeiros, que extinguiram um incêndio iniciado em um dos pavilhões.

AE, Agência Estado

11 de dezembro de 2010 | 15h43

O deputado chileno Gustavo Husbun informou que cinco detentos foram hospitalizados após inalarem fumaça em excesso e que 20 outras pessoas com ferimentos leves receberam tratamento na enfermaria da própria prisão.

O protesto começou por volta das 20h de sexta-feira (19h em Brasília), quando 300 presos foram transferidos ao pátio para serem informados que 35 detentos considerados mais perigosos seriam transferidos para a penitenciária de Rancagua, situada 85 quilômetros ao sul de Santiago. Nesse momento, segundo Masferrer, algumas pessoas começaram um incêndio num dos pavilhões.

Na quarta-feira, 81 pessoas morreram na prisão de San Miguel por causa de um incêndio iniciado após uma briga entre os detentos. A penitenciária foi projetada para receber 700 presos, mas quase 2 mil pessoas estavam cumprindo pena no local. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chileprisãorebelião

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.