Nova suspeita de contaminação por antraz em Washington

As autoridades descobriram evidências de antraz em uma agência de correio da Câmara de Representantes, disseram hoje funcionários do Congresso, enquanto peritos continuavam revisando o Capitólio em busca de novos sinais. Um funcionário de uma agência de correio pode estar contaminado pela bactéria. Cerca de 150 agentes do FBI e inspetores de correios investigavam um caminho em Nova Jersey, em busca da caixa de correio de onde foram enviadas as cartas com antraz e as autoridades informaram que ela foi encontrada. O presidente George W. Bush prometeu combater este "ato de terror" que provocou a morte de uma pessoa, adoeceu outras sete e obrigou milhares a submeterem-se a tratamento preventivo, além de criar pânico em todo o mundo. As autoridades encontraram antraz no escritório do líder da maioria do Senado, Tom Daschle, onde uma carta contendo a bactéria foi aberta na segunda-feira, e em um centro de correios no edifício em frente. O caso mais recente ocorreu no Edifício Ford da Câmara de Representantes. O antraz foi achado em uma máquina que processa o correio para o Edifício Longworth da Câmara, onde mais de 100 legisladores, têm seus escritórios. Em Washington, as autoridades de saúde disseram que um empregado da agência de correio que processou a carta enviada a Daschle foi hospitalizado com sintomas de uma possível infecção por antraz. Os médicos ainda não sabem com certeza se ele tem a enfermidade. O diretor dos serviços de saúde da cidade, Ivan Walks, não revelou a identidade do homem nem quais eram seus sintomas, mas disse que "seu quadro clínico nos faz suspeitar de que seja infecção por antraz". As autoridades consideram a possibilidade de o antraz que contaminou o empregado não-identificado seja proveniente de uma carta que havia sido processada junto com a que foi enviada a Daschle.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.