Karsten Moran / The New York Times
Karsten Moran / The New York Times

Nova York aprova lei para controlar o aumento dos aluguéis

Medida obriga proprietários a manterem preço do imóvel caso inquilino corra o risco de ficar sem moradia, além de limitar o valor do depósito caução a um mês

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2019 | 01h33

NOVA YORK, EUA - O Senado do estado de Nova York aprovou nesta sexta-feira, 14, uma lei concebida para regular os aluguéis dos imóveis e combater os preços altos, protegendo os inquilinos de despejos.

A lei elimina muitos recursos que os proprietários utilizavam para tirar os imóveis do mercado regulado e proíbe algumas "vantagens". Dentre elas, a medida permite que os proprietários tenham apenas uma propriedade de aluguel estabilizada para parentes e os obriga a manter o preço do imóvel inalterado se o inquilino correr o risco de ficar sem moradia. O depósito caução também foi limitado ao equivalente a um mês.

Políticos do Partido Democrata e organizações sociais elogiaram a lei, mas os do Partido Republicano e o setor imobiliário a criticaram, alegando que, a longo prazo, provocará um desincentivo para os proprietários.

O prefeito de Nova York, o democrata Bill de Blasio, considerou que foi possível ouvir "o pedido de atenção" dos moradores e que, levando em conta o ritmo de construção de imóveis a preços acessíveis da cidade, "as reformas significam que será possível realmente aumentar o número de apartamentos pelos quais os nova-iorquinos podem pagar".

O governador do estado, Andrew Cuomo, também democrata e que defendeu a regulação do mercado imobiliário, disse em comunicado que, antes do vencimento da lei vigente - neste sábado - , assinou "imediatamente" a nova para "evitar o caos e incerteza de um lapso". / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.