Nova York convoca os jovens: ´Votar é <i>fashion</i>´

"Votar é fashion." Este é o mote de uma campanha que começa a tomar conta dos EUA, especialmente de Nova York, meca da moda. Se no Brasil o jovem tem o direito de decidir se quer votar ou não dos 16 aos 18 anos e depois é obrigado, nos EUA o voto não é obrigatório - a média nacional de abstenção, aliás, beira os 40%. Portanto, é um grande desafio convencer os jovens a irem às urnas. A organização não-governamental Rock The Vote, que surgiu em 1990, por iniciativa da indústria fonográfica e de estrelas de como Madonna e Bonno Vox, para defender a liberdade de expressão, tomou para si a tarefa de estimular os jovens a votar nas eleições presidenciais de novembro. A iniciativa encontrou no estilista e festeiro da Broadway P. Diddy um cabo eleitoral importante. Ele convocou os mais disputados modelos e estilistas para vestirem a idéia. Entraram na roda as grifes Ecko, Phat Farm e Sean John, do próprio Diddy, que se dispuseram a estampar uma mensagem forte: "Vote or Die!" (Vote ou Morra!). Ben Affleck, Leonardo DiCaprio, Mariah Carey e Mary J. Blige já se comprometeram a vestir a camisa em lugares públicos. Donna Karan, dona da grife DKNY, a mais famosa da cidade, também aceitou o desafio e promete emplacar novo sucesso fora das passarelas, nas ruas. Fez camisetas com frases como "You decide" (Você decide), "Vote: it´s important" (Voto: isto é importante) e "You have the power" (Você tem o poder). Podem parecer frases ingênuas ao brasileiro ou muito tênues diante da de Diddy. Mas, nos EUA, são imperativas raramente usadas e por isso têm impacto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.