Nova York proíbe celulares para motoristas

A Assembléia Legislativa de Nova York aprovou definitivamente, por 125 votos a 19, a primeira proibição nos Estados Unidos aos uso de telefones celulares de mão por parte de motoristas enquanto dirigem, mas poderá levar meses até que eles sejam tratados como criminosos no Estado.Se o governador George Pataki assinar a lei, como ele disse que fará, a proibição entrará em vigor em 1º de novembro. Os motoristas infratores serão apenas advertidos durante o primeiro mês.Quem violar a determinação poderá ainda ter sua multa anulada até o fim de fevereiro de 2002 se conseguir provar a um juiz que comprou um sistema de telefonia celular de viva-voz.A multa será de US$ 100. Em caso de reincindência, o valor passa a US$ 200. Cada violação subseqüente custará US$ 500.A aprovação é o último desdobramento em um crescente movimento nacional contra o que muita gente considera um novo perigo. Os motoristas provocam acidentes porque sua mente está concentrada na conversa telefônica ou porque suas mãos estão buscando os pequenos aparelhos. "É uma boa lei", disse Sheldon Silver, presidente da Assembléia. "Vai salvar vidas, tenho certeza".Nos últimos dois anos e meio, 41 estados propuseram projetos de lei semelhantes, mas que até agora não foram aprovados. A maioria das companhias telefônicas de telefone sem fio fez lobby contra a medida, argumentando que o telefone é apenas uma entre as várias distrações que provocam acidentes e que campanhas educativas seriam mais eficazes que leis.O projeto de lei aprovado pelo Senado de Nova York, na semana passada, e agora pela Assembléia, não proibirá falar ao telefone no carro, decreta que é infração de trânsito levar o fone de mão ao ouvido e conduzir uma conversação. Falar com a ajuda de um fone de ouvido ou de um microfone será permitido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.