Nova Zelândia declara mortos os 29 mineiros

Nova explosão em mina leva governo a crer que não há esperança de resgatar soterrados

NYT, AP e REUTERS, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2010 | 00h00

WELLINGTON

A polícia da Nova Zelândia declarou mortos os 29 mineiros soterrados na jazida de Pike River, no sul do país. Uma explosão ainda mais forte do que a anterior, que isolou os funcionários no dia 19, ocorreu na tarde de ontem, acabando com a esperança de um resgate bem sucedido. "Somos uma nação em luto", disse o primeiro-ministro neozelandês, John Key, em um comunicado oficial.

De acordo com Peter Whittall, diretor executivo da mina de carvão, a segunda explosão durou cerca de 30 segundos. Ocorreu pouco depois que uma equipe de perfuração tinha cavado um túnel por onde robôs conseguiram gravar imagens internas. No momento do acidente, 16 homens preparavam-se para entrar.

As famílias que ouviam o comunicado de Whittall esperavam boas notícias e antes que ele acabasse seu relato, chegaram a aplaudir quando o executivo contou que a equipe se preparava para entrar. Mas, ao continuar, Whittall deixou claro que qualquer tentativa nesse sentido seria perigosa.

A esperança era grande por causa do resgate dos 33 mineiros chilenos. Mas a operação no Chile foi facilitada pela ausência de gases em minas de cobre e ouro, como aquela. Outro fator positivo no caso chileno foi o clima seco da região, que impede o risco de inundações subterrâneas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.