Nova Zelândia diz que não se livrou da gripe A

País contesta comunicado da OMS e informa quatro mortes neste ano e que há fgcos da doença no país

Efe

11 de agosto de 2010 | 02h53

SIDNEY, AUSTRÁLIA - O governo da Nova Zelândia admitiu nesta quarta-feira, 11, que ainda luta contra a gripe A, apesar de a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter dado por terminada a pandemia pela doença.

"Embora alguns países tenham visto o desaparecimento do vírus, isto não aconteceu conosco", disse em comunicado a ministra da Saúde neozelandesa, Darren Hunt.

Neste ano, pelo menos quatro pessoas morreram pela gripe A na Nova Zelândia, segundo dados oficiais.

Hunt explicou que há "focos significativos" da doença em várias zonas do país, o que faz com que muitas pessoas percam aulas e dias de trabalho. Só neste ano, cerca de 300 pessoas foram internadas.

"A gripe A é o tipo de mais habitual neste inverno, e há mais pessoas hospitalizadas que em 2009 em áreas que há um ano se salvaram do vírus", acrescentou a ministra.

As declarações do ministério são resposta ao anúncio da OMS, cuja diretora, Margaret Chan, declarou na terça-feira o fim da pandemia e do estado de alerta máximo pela gripe A, fazendo um balanço positivo de sua gestão apesar de críticas recebidas.

Além disso, a agência das Nações Unidas acredita que é impossível que ocorra outra epidemia a escala mundial, inclusive se houver focos severos em vários países.

O vírus da gripe A causou a morte de cerca de 19 mil pessoas no mundo, e afetou 214 países desde que foi descoberto nos Estados Unidos e no México, em abril do ano passado, segundo a OMS.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.