David Lintott/ AFP Arquivo
David Lintott/ AFP Arquivo

Nova Zelândia pede investigação oficial sobre ataques a mesquitas

Jacinda Ardern, primeira-ministra do país, ordenou que ataques que aconteceram em 15 de março deste ano sejam apurados judicialmente e de forma independente

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2019 | 00h29

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, ordenou, nesta segunda-feira, que seja feita uma investigação judicial independente sobre os ataques que aconteceram no país, em 15 de março deste ano, a duas mesquitas, na cidade de Crhistchurch, que deixaram 50 mortos. As vítimas na cidade de Christchurch tinham entre 3 e 77 anos.

"É importante que não reste pedra sobre pedra para entendermos como este ato terrorista aconteceu e como poderíamos tê-lo impedido", disse Ardern para a imprensa, acrescentando que a investigação poderá incluir a polícia local e os serviços de inteligência. 

O massacre em uma das mesquitas foi transmitido ao vivo pela internet e um manifesto sobre supremacia branca foi postado online. O autor do massacre foi processado. Após o atentado, a Nova Zelândia anunciou reforma de lei de armas. /AFP 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.