EFE/EPA/LUKAS COCH AUSTRALIA AND NEW ZEALAND OUT
EFE/EPA/LUKAS COCH AUSTRALIA AND NEW ZEALAND OUT

Nova Zelândia pretende vacinar 350 mil pessoas em um dia

Com clínicas de vacinação abertas em horário estendido, país monta estrutura de 'dia de eleição' para imunizar população

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2021 | 15h00

À medida em que se aproxima da reabertura da sua economia, a Nova Zelândia espera vacinar cerca de 350.000 pessoas num único dia, no maior esforço de imunização contra a covid-19 no país desde o início da pandemia, e, também  no momento em que luta contra a variante Delta.

As clínicas de vacinação estarão abertas durante o dia todo no sábado, 16, disse Chris Hipkins, ministro que lidera a resposta contra a covid-19 da Nova Zelândia. As instalações poderão vacinar 350.000 pessoas — cerca de 8,3% da população elegível de pessoas com 12 anos ou mais, disse ele.

“Tal como no dia das eleições, vamos pedir a todos os nossos líderes cívicos e políticos que contribuam para os nossos esforços”, disse Hipkins.

O país teve uma das respostas mais bem-sucedidas à pandemia, registrando apenas 28 mortes pelo vírus. Ainda assim, após um ano e meio perseguindo uma estratégia de "covid zero", no início da semana o país anunciou que desistiu do plano.

Embora pareça tarde para começar a campanha de vacinação, a Nova Zelândia está a caminho de imunizar totalmente, até o fim de novembro, cerca de 90% de sua população apta à imunização.

A Nova Zelândia é o mais recente país a concentrar intensos esforços de vacinação num único dia. Em agosto, a Tunísia vacinou mais de 500.000 pessoas numa única data, e neste mês, a Índia disse ter aplicado 25 milhões de doses num só dia para comemorar o aniversário do primeiro-ministro do país, Narendra Modi.

Nesta quarta-feira, 6, 50% da população apta da Nova Zelândia tinha recebido duas doses da vacina Pfizer-BioNTech, único imunizante utilizado no país, enquanto 80% tinham recebido a primeira dose.

A Nova Zelândia também está reduzindo de seis para três semanas o tempo entre a primeira e a segunda dose, mudança que significa que "mais pessoas podem ser totalmente vacinadas mais cedo, aumentando a nossa imunidade comunitária", disse um funcionário do Ministério da Saúde em comunicado.

Ritmo da vacinação

No ritmo atual, o país aplica 17.000 primeiras doses e cerca de 46.000 segundas doses por dia, de acordo com os dados mais recentes. A taxa de primeiras doses diárias aplicadas tem caído, baixando mais de três quartos em relação à alta de aplicações em agosto, que teve 67.000 doses por dia.

A Nova Zelândia não estabeleceu um objetivo de vacinação nem uma data para aliviar as medidas restritivas, que já duram sete semanas, embora a primeira-ministra Jacinda Ardern tenha dito na terça-feira que o país iria adotar um certificado nacional de vacinação que seria necessário para a entrada em "locais de alto risco", como festivais de música no verão. / NYT 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.