Carlo Allegri/Reuters
Carlo Allegri/Reuters

Nova Zelândia prolonga confinamento em Auckland para conter o vírus

Maior cidade do país terá confinamento por mais quatro dias para controlar novo foco de coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2020 | 09h35

AUCKLAND - A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, prolongou o confinamento em Auckland, a maior cidade do país, e anunciou que é necessário mais tempo para controlar um persistente foco de coronavírus.

"Os quatro dias a mais são necessários para permitir a redução do nível em Auckland, e permanecer com o nível reduzido", afirmou, em referência ao sistema de alerta nacional de quatro níveis. "Queremos confiança e segurança para todos", completou a primeira-ministra.

As autoridades anunciaram o confinamento em Auckland em 12 de agosto, um dia depois da detecção de novos casos. O país havia conseguido registrar 102 dias sem casos transmitidos localmente.

O foco do contágio aumentou e passou de quatro a 101 em poucos dias. A origem continua sendo desconhecida, apesar do grande dispositivo de rastreamento.

Ardern também afirmou que novos casos poderiam ser registrados e que as autoridades de saúde precisam confirmar que o foco está sob controle antes de flexibilizar o confinamento. Além disso, a primeira-ministra anunciou que mesmo com uma flexibilização das restrições em Auckland, todo o país permanecerá em nível dois. Isto significa que a população deve respeitar as normas de distanciamento físico até pelo menos 6 de setembro.

As máscaras também são obrigatórias nos transportes públicos e aviões. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.