Marty Melville/AFP
Marty Melville/AFP

Nova Zelândia tenta traçar origem dos novos casos de covid-19 registrados no país

A primeira-ministra Jacinda Ardern disse que a situação "vai piorar antes de melhorar" e que mais casos devem ser registrados nos próximos dias

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2020 | 04h54

Autoridades da Nova Zelândia tentam descobrir a origem do novo surto de coronavírus no país. Nesta quinta-feira, 13, mais 14 casos foram registrados. Na terça-feira, a Nova Zelândia confirmou novas infecções após mais de três meses sem registrar casos de transmissão comunitária. 

A descoberta de quatro pessoas infectadas da mesma família, em Auckland, deixou o país em choque e gerou críticas sobre as medidas adotadas pelo governo para conter a disseminação do vírus. 

A Nova Zelândia anunciou nesta quinta-feira que foram registrados 13 casos de transmissão comunitária nas últimas 24 horas e 1 infectada que chegou de outro país e está em quarentena. No momento, a Nova Zelândia tem 36 casos ativos do novo coronavírus. 

"Nós podemos ver a seriedade da situação em que estamos", disse a primeira-ministra Jacinda Ardern em um pronunciamento na televisão. "Está sendo tratada com urgência, mas de uma maneira calma e metódica". 

Ardern impôs restrições de circulação em Auckland e medidas de distanciamento social em outras regiões do país nesta quarta-feira, atitudes que já havia tomado no início da pandemia e pelas quais foi elogiada em todo o mundo. 

A primeira-ministra destacou que a experiência com a covid-19 mostra que "as coisas vão piorar antes de melhorar" e que mais casos devem ser registrados nos próximos dias. 

"Mais uma vez somos lembrados do quão complicado é esse vírus e de como pode se espalhar facilmente", disse ela. "Agir cedo ainda é a melhor medida". 

Dúvidas sobre a origem dos novos casos levantaram questionamentos sobre a estratégia do governo. Autoridades afirmaram nesta quinta-feira que três colegas de trabalho de um dos membros da família infectada testaram positivo para o coronavírus. Eles trabalham em um local de armazenagem refrigerada de produtos. 

O diretor-geral de Saúde, Ashley Bloomfield, disse que autoridades sanitárias estão perto de encontrar o paciente zero do novo surto. 

"Estamos trabalhando a todo vapor para rastrear os contatos e traçar a origem dessa infecção", disse Bloomfield. Na quarta-feira, ele levantou a possibilidade de que o vírus teria chegado ao país via cargas importadas.  

Já nesta quinta-feira, ele disse que a hipótese era "pouco provável", mas não detalhou outras possíveis fontes./REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.