Novas caricaturas de Maomé irritam muçulmanos na Dinamarca

A Dinamarca agiu rapidamente para tentar conter a indignação de muçulmanos por causa de uma nova série de cartuns ridicularizando o profeta Maomé e advertiu seus cidadãos contra viajar ao Oriente Médio em meio a condenações de líderes islâmicos pelos desenhos.Funcionários do governo dinamarquês se reuniram nesta segunda com embaixadores de vários países muçulmanos para explicar o contexto de um vídeo amador, divulgado por uma TV dinamarquesa, mostrando membros da ala jovem do anti-imigrante Partido do Povo Dinamarquês (PPD) em uma competição para desenhar imagens ridicularizando o profeta, em um acampamento de verão em agosto.O vídeo atraiu críticas de líderes islâmicos no Egito, Indonésia e Jordânia e provocou o temor de novos protestos anti-Dinamarca que tomaram conta do mundo muçulmano no ano passado depois que um jornal dinamarquês publicou cartuns do profeta Maomé.Funcionários da chancelaria da Dinamarca explicaram aos embaixadores que o governo denunciou os desenhos e que o vídeo foi removido do site que o estava divulgando. Eles também esclareceram que o vídeo foi divulgado primeiro pelo site YouTube, que não é sediado na Dinamarca."As tevês dinamarquesas TV-2 e DR depois divulgaram trechos do vídeo", informou a chancelaria em um comunicado. "A intenção ao divulgar os trechos não foi provocar os muçulmanos, mas ilustrar a questão em uma entrevista na tevê DR com o presidente da ala jovem do PPD, que disse não estar envolvido com o vídeo."Segundo a chancelaria, um grupo militante na Faixa de Gaza fez ameaças contra dinamarqueses nas áreas palestinas por causa dos cartuns do dia 9. "Por isso pedimos aos dinamarqueses que tenham cuidado já que o problema pode levar a reações negativas.A Organização da Conferência Islâmica, que reúne 57 países, condenou nesta segunda os novos cartuns e, na Jordânia, 13 associações de profissionais pediram às nações muçulmanas que cortem relações com a Dinamarca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.