Novas leis de segurança prejudicam o turismo nos EUA

A indústria de turismo americana diz que as novas medidas adotadas pelo governo estão desestimulando os estrangeiros a visitar os Estados Unidos, e criando a percepção mundial de que o país está se convertendo em uma "fortaleza inexpugnável". "A percepção de que não somos mais uma nação acolhedora aumenta em todo o mundo", afirmou John Marks, presidente da Travel Industry Association (TIA), a maior associação da área nos Estados Unidos. Para Marks, a indústria do turismo "não desconhece a necessidade de melhorar a segurança nacional, mas é também importante que as autoridades pensem na segurança econômica". "Deve haver um compromisso de todos com a proteção da vida, mas também com a preservação dos empregos", disse ele ao falar diante do Comitê de Reforma de Governo na Câmara de Representantes. "Estamos lutando para sobreviver", disse Marks durante a audiência, na qual falaram também emissários do Departamento de Estado, de Segurança Interna e do FBI. "Desde os ataques terroristas de setembro de 2001, a chegada de estrangeiros nos EUA caiu 20%", afirmou. Segundo ele, a situação foi agravada com as recentes decisões sobre entrevistas de tipo policial a que são submetidos os turistas em potencial, checagem de nomes em uma base de dados de criminosos e concessão, aos agentes nos pontos de entrada, de poder para fixar o tempo de permanência do viajante no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.