Nove corpos são achados e já são 35 mortos em incêndios na Austrália

A localidade de Marysville, a cerca de 100 quilômetros de Melbourne, desapareceu totalmente

EFE,

08 de fevereiro de 2009 | 03h55

O achado de nove cadáveres aumentou para 35 o número de mortos nos incêndios que destruíram centenas de casas e dezenas de milhares de hectares de florestas nos estados australianos de Victoria e Nova Gales do Sul. A localidade de Marysville, a cerca de 100 quilômetros de Melbourne, desapareceu totalmente e teme-se que também tenha sido destruída completamente pelas chamas a localidade de Kinglake, a cerca de 70 quilômetros da anterior e cerca de 80 ao norte de Melbourne, a capital do estado. A rádio australiana "ABC" informou que não há ambulâncias suficientes disponíveis para assistir todos os feridos em Kinglake. Três pessoas se encontram em estado crítico no Hospital Alfred de Melbourne, a capital de Victoria, das 18 pessoas internadas nesse hospital com queimaduras, sete delas em mais de 30% do corpo. As equipes de salvamento começaram a aceder às áreas afetadas, quando era seguro, e buscam dentro das casas e nos veículos abandonados para se assegurar de que não há mortos ou feridos em seu interior. "É devastador. Perdemos tudo. Nosso pequeno povoado desapareceu 20 minutos depois de o abandonarmos. Provavelmente, 95% das casas desapareceram", disse a australiana Raylene Kincaide, moradora de Narbethong, em Victoria. O primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, disse que é uma perda de vidas e propriedades espantosa, e anunciou que o Exército está em alerta e ofereceu o desdobramento de tropas. O primeiro-ministro de Victoria, John Brumby, disse que tinha falado esta manhã com o chefe do Governo nacional, Kevin Rudd, e acertaram que o Exército se una aos 3.000 bombeiros e milhares de voluntários que combatem as chamas e socorrem as vítimas. "Vão proporcionar (os soldados) colaboração e logística. Vão dar apoio logístico, maquinaria pesada, algum pessoal e ajudarão no controle das situações muito difíceis", detalhou Brumby. O governante regional acrescentou que foi aberto ao mesmo tempo um fundo de ajudas financeiras para os afetados. Os bombeiros combatem em Victoria nove frentes de chamas, algumas provocadas e outras iniciadas ontem à noite por uma tempestade de raios que não trouxe chuva, mas sim vários relâmpagos. A situação também é grave em Nova Gales do Sul, onde há 59 incêndios florestais e os bombeiros advertem que as altas temperaturas não favorecem as tarefas de controle e extinção. Os meteorologistas previram até 43 graus de temperatura no oeste de Nova Gales do Sul, e fortes ventos tornam incontroláveis pelo menos 10 focos. A onda de calor sem precedentes que afetou os últimos 15 dias os estados de Victoria e Austrália do Sul causou centenas de mortes devido às altas temperaturas e terminou no sábado com uma mudança na direção do vento, mas se transferiu para o norte e está hoje em Nva Gales do Sul.

Tudo o que sabemos sobre:
INCÊNDIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.