Nove crianças morrem em bombardeio no Afeganistão

Nove crianças e um adulto morreram neste sábado num bombardeio da aviação americana na Província de Ghazni, no sudeste no Afeganistão, admitiu na manhã de domingo o comando militar americano. "Neste sábado, às 10h30 da manhã (4 horas de Brasília), um avião da coalizão lançou um ataque a um terrorista suspeito de ser o responsável pelo assassinato de dois empreiteiros", dizia a nota emitida pelo Exército dos EUA e divulgada na Base Aérea de Bagram, a 50 quilômetros de Cabul, capital afegã."Depois deste ataque, tropas terrestres da coalizão se dirigiram ao local para rastrear a região e recolher o cadáver da pessoa que era alvo (do ataque), mas encontraram também os corpos de nove crianças", prosseguia o boletim.O bombardeio ocorreu ao sul da localidade de Ghazni, 130 quilômetros a sudoeste de Cabul. Não foram fornecidas informações sobre a idade das crianças mortas. O embaixador americano, Zalmay Khalilzad, assegurou, na capital, que o mulá Wazir, comandante taliban, era o alvo, acrescentando que ?ele gabou-se de seu involvimento pessoal em ataques a cidadãos afegães inocentes?.Khalilzad disse que ?estava profundamente entristecido? por essa ?trágica perda de vidas inocentes? e falou com o presidente do Afeganistão sobre o incidente. Jawaid Khan, secretário do governador de Ghazni, tem números diferentes para as vítimas, dizendo que oito crianças e dois homens foram mortos e que Wazir não estava entre eles.?Os americanos queriam bombardear o mulá Wazir, mas acertaram outra casa?, disse Khan a AP. ?As pessoas estão com muito medo. Elas não tem idéia porque os americanos bombardearam seu povoado.?Durante o regime taliban, Wazir foi um comandante distrital local e não era conhecido como uma peça importante na resistência aos americanos. O porta-voz do Exército dos EUA, major Christopher E. West chamou o alvo de ?conhecido terrorista? creditando-lhe a responsabilidade pelos assassinatos, em outubro, de dois empreiteiros estrangeiros que estavam trabalhando em uma estrada do Afeganistão.Major Ralph Marino, outro porta-voz de Bagram, não deu informações mais detalhadas sobre as crianças ou sobre o suspeito. Não foi capaz, também, de fornecer melhores informações sobre a morte dos empreiteiros. Investigadores militares estão indo para o local do ataque, para determinar se as forças americanas cometeram erros, disse West.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.