Nove em cada 10 americanos ficaram estressados após atentados

Nove em cada dez americanos sofreram de estresse depois dos atentados terroristas de 11 de setembro, informa um estudo publicado hoje pelo New England Journal of Medicine. O trabalho, realizado por pesquisadores californianos do Instituto de Pesquisa Rand e por especialistas do Centro para o Controle de Doenças de Atlanta, revelou que insônia, pesadelos, dor de estômago, irritabilidade e dificuldade de concentração foram os sintomas mais comuns entre a maioria dos americanos adultos depois dos atentados. "As pessoas reagiram como se tivessem sido atacadas pessoalmente", disse Mark Schuster, o pesquisador da Rand que liderou o estudo. De acordo com a pesquisa, foram afetados pela "síndrome de 11 de setembro" americanos de todas as idades, etnias, religiões e sexos, embora o estresse tenha se manifestado com maior intensidade entre os moradores de Nova York e Washington, pela proximidade dos alvos terroristas. Os atentados causaram um efeito negativo também nas crianças: 46% dos pais disseram que os filhos estão preocupados com sua segurança e a das pessoas que amam. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.