Nove fiéis mortos em atentado a mesquita no Paquistão

Desconhecidos abriram fogo neste sábado dentro de uma mesquita xiita em Karachi, no Paquistão, matando nove fiéis e ferindo pelo menos outros nove. Pelo menos três pistoleiros entraram na mesquita de Imam Bargha Mehdi, no momento em que os fiéis faziam suas orações vespertinas, e abriram fogo com armas automáticas, disse Iftikhar Ahmed, porta-voz do ministério do Interior. Os três atacantes conseguiram escapar.Pelo menos oito cadáveres foram levados ao hospital Jinnah, disse o doutor Kalim Ahmed à Associated Press. A polícia disse que pelo menos 25 pessoas estavam na mesquita na hora do ataque. Dezenas de familiares e amigos das vítimas se juntaram aos prantos diante do hospital aguardando notícias de seus entes queridos. O motivo do ataque não foi determinado de imediato, masos muçulmanos xiitas - que representam entre 15% e 20% dos 145milhões de habitantes do Paquistão - têm sido freqüentemeneagredidos por muçulmanos sunitas, que são maioria no país. Muitas vezes os ataques ocorreram nas casas de oração. A maior parte das mortes tem sido atribuída a um grupoextremista sunita chamado Sipah-e-Sahaba Pakistan (SSP), que foiproscrito pelo governo. Uma facção deste grupo, oLashkar-e-Jhangvi, foi responsabilizada por um ataque contramuçulmanos xiitas e vários de seus membros foram detidos. A rivalidade entre as duas seitas islâmicas se originouno século VII, quando se separaram devido a um desacordo sobrequem era o legítimo sucessor do profeta Maomé. No Paquistão, muitos sunitas de linha dura nãoconsideram os xiitas como muçulmanos."Esta é uma conspiração para criar um problema sectário no próximo mês sagrado", disse Jasan Zafar Nakvi, dirigente da comunidde xiita em Karachi. "O governo deve estarenvergonhado por não ter protegido a mesquita".Nos últimos meses, a cidade portuária de Karachi tem sido cenário de ataques contra ocidentais e cristão minoritários. Em 14 de junho passado, um carro-bomba explodiu diante do consulado americano nessa cidade, deixando 12 mortos e 50 feridos. Em 8 de maio, um ataque suicida matou 11 engenheiros franceses e outras três pessoas, entre elas o atacante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.