Nove mortos em choque entre navios na Península de Malaca

Acidente causou um incêndio no primeiro que os bombeiros demoraram 30 horas para sufocar

EFE

23 de agosto de 2009 | 07h00

Nove pessoas morreram na colisão de um petroleiro taiwanês e um cargueiro grego no a Península de Malaca, informaram neste domingo as autoridades malaias, depois que as equipes de resgate descobriram os corpos dos sete marinheiros que permaneciam desaparecidos.

 

Segundo a Polícia da cidade portuária Port Dickson, a 95 quilômetros ao sul de Kuala Lumpur, sete cadáveres foram recuperados no sábado, depois dos dois na sexta-feira. Conhecida a sorte de todos os desaparecidos, dos quais até o momento só se identificou um, as operações de resgate conduzidas pela Autoridade Marítima e bombeiros foram canceladas.

 

O diretor de Polícia Osman Salleh assinalou que as vítimas fatais ficaram presas pelo fogo e a maioria morreu na seção central do petroleiro Formosa Product Brick, que operava sob bandeira liberiana e transportava 50 mil toneladas de nafta.

 

As autoridades portuárias averiguam a causa da colisão entre o petroleiro e o cargueiro Ostende Max na terça-feira passada em águas próximas a Port Dickson, e que causou um incêndio no primeiro que os bombeiros demoraram 30 horas para sufocar.

Tudo o que sabemos sobre:
ACIDENTEPETROLEIROCARGUEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.