Nove partidos iraquianos desmontam suas milícias

Nove importantes partidos políticos iraquianos concordaram em desmobilizar suas milícias, disse o primeiro-ministro Iyad Allawi, anunciando que, com isso, 100.000 milicianos passarão para a vida civil ou serão incorporados às forças oficiais de segurança. O Exército Al-Mahdi, grupo xiita radical liderado por Muqtada al-Sadr, não aderiu ao acordo.Nenhuma das milícias que deixarão de existir tomou parte na resistência à ocupação e a maioria é controlada por movimentos políticos com representação no governo provisório. A coalizão que ocupa o país desde a queda de Saddam Hussein tentou dissolver as facções políticas armadas ano passado, mas os partidos não concordaram em abrir mão das armas.Nos termos do acordo, a maioria das milícias será extinta em 2005, num programa nacional de desarmamento com custo estimado em US$ 200 milhões. os milicianos serão tratados como veteranos de guerra, com direito a pensão e ajuda para encontrar emprego.A desmobilização será feita em termos de indivíduos, não de unidades ou brigadas inteiras, informam representantes da coalizão.Os grupos armados que permanecerem serão declarados ?forças armadas ilegais? e seus membros estarão sujeitos a pena de prisão. Uma ordem a ser assinada ainda hoje também declara que os membros das milícias ilegais serão impedidos de exercer cargos públicos por três anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.