Nove rebeldes e um soldado morrem em combates no Sri Lanka

Na segunda-feira, guerrilheiros destruíram vários aviões e mataram 14 militares

Efe,

24 de outubro de 2007 | 03h56

Nove guerrilheiros tâmeis e um soldado do Exército morreram e vários combatentes ficaram feridos em três choques armados no norte do Sri Lanka, informou nesta quarta-feira, 24, o Ministério de Defesa cingalês. Os três combates aconteceram nesta terça-feira, no distrito de Vavuniya. Em cada um morreram três guerrilheiros dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil. No combate mais grave, em Vilaththikulam, um soldado morreu e dois foram feridos por um ataque de morteiro. Mas, segundo o comunicado, o Exército respondeu à operação, matando três rebeldes e ferindo cinco. Na véspera, o LTTE lançou ataques simultâneos por terra e ar contra a base militar de Anuradhapura, utilizada pelo Exército como plataforma de lançamento para operações no norte do Sri Lanka, onde se concentra o grosso da guerrilha. Um grupo de 21 Tigres Negros (esquadrão de elite) entrou na base, aproveitando que os vigias estavam vendo televisão. Com apoio aéreo, os guerrilheiros destruíram vários aviões e mataram 14 soldados. O Exército contra-atacou e matou os rebeldes. Em seu site, os rebeldes anunciaram a destruição de um avião de vigilância cingalês que nos últimos tempos tinha desempenhado um papel-chave na destruição de várias embarcações da guerrilha. Nos últimos meses, o governo cingalês tem feito o possível para cortar o fornecimento de armas aos tâmeis, destruindo suas principais vias marítimas. A guerrilha sofreu várias derrotas nos últimos meses, mas conserva seus redutos no norte do país, onde os confrontos são constantes. Desde o início do conflito, morreram na ilha entre 65 mil e 80 mil pessoas vítimas da violência.

Tudo o que sabemos sobre:
Sri Lankaconfrontos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.