Nove turcos são presos após explosão de carros-bomba

Nove cidadãos turcos suspeitos de terem ligações com a agência de inteligência Síria foram detidos neste domingo, 12, após a explosão de dois carros bomba em Reyhanli, sul da Turquia, no sábado. Os bombardeios deixaram 46 mortos e foi o maior atentado na fronteira com a Síria desde o início da guerra civil síria.

Agência Estado

12 de maio de 2013 | 10h46

Segundo o ministro do Interior turco, Muammer Guler, o incidente foi realizado por uma organização "que está em estreito contato com grupos pró-regime na Síria", disse sem especificar nomes.

Autoridades sírias rejeitam a hipótese. "A Síria não fez e nunca vai realizar tais atos porque os nossos valores não nos permitem fazer isso", disse o ministro sírio de Informação, Orman al-Zoubi, em entrevista coletiva. Ele acusou a Turquia de desestabilizar as áreas de fronteira entre os dois países apoiando os rebeldes, que o regime classifica como terroristas. Com informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Turquiaexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.