REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Dois novos apagões atingem Caracas e várias regiões da Venezuela

Menos de 20 dias depois de um episódio similar que paralisou o país por uma semana, a eletricidade acabou em boa parte de Caracas e grandes cidades do oeste, como Barquisimeto e Barinas

AFP, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2019 | 16h33

Dois novos apagões afetaram, nessa segunda-feira, 25, várias regiões da Venezuela, incluindo Caracas, quase 20 dias depois de um episódio similar que paralisou o país por uma semana.

A eletricidade acabou às 13h20 (14h20 de Brasília) em boa parte de Caracas e, segundo vários usuários do Twitter, o apagão também afeta grandes cidades do oeste, como Barquisimeto e Barinas. Em Maracaibo, os internautas informaram que o serviço se encontra "instável" e que a luz "vem e vai". 

Em Caracas, os sinais de trânsito não funcionam e as redes telefônicas estão em colapso, assim como o serviço de internet. Os venezuelanos usaram a tag "#SinLuz" para relatar os cortes no Twitter. 

O país superou um apagão generalizado há alguns dias, de 7 a 14 de março, o que complicou as comunicações, a distribuição de água e combustível, bem como o fornecimento de alimentos. Também teria causado, segundo relatos, a morte de ao menos 12 pacientes em hospitais. 

O governo de Nicolás Maduro, em seguida, acusou os Estados Unidos de ter feito "ataques cibernéticos" contra a principal usina hidrelétrica do país, com o apoio da oposição, liderada pelo líder parlamentar Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino da Venezuela e reconhecido por Washington e 50 outros países. 

A oposição atribui a crise da eletricidade ao abandono da infraestrutura e à corrupção.


Segundo apagão

A energia voltou a faltar em regiões do país por volta das 22h (horário local, 23h em Brasíia), depois que as autoridades deram por solucionado o primeiro incidente que afetou grande parte do país e se estendeu por várias horas. O Governo de Nicolás Maduro afirmou que outro ataque contra a hidrelétrica do Guri, a principal do país, seria o responsável pelo novo blecaute.

"Foi cometido exatamente à 21h50 (horário local, 22h50 em Brasília) um ataque de magnitude no pátio dos autotransformadores da usina hidrelétrica de Guri, e estamos avaliando neste momento o alcance do prejuízo lá gerado", disse o ministro de Comunicação Jorge Rodríguez à televisão local.

"Outra vez a nossa Venezuela submetida a um blecaute! E segundo estes sem-vergonhas, corruptos, ineptos, tinham restituído o serviço de eletricidade! Terminem de ir embora, são uma praga para o país!", escreveu no Twitter o ex-candidato presidencial opositor Henrique Capriles.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.