Novo ataque contra americanos termina com um soldado morto

Um soldado americano morreu e outrosquatro ficaram feridos neste sábado numa emboscada nosarredores de Tikrit, a cidade natal de Saddam Hussein, revelouum comunicado com Comando Central do Exército dos EstadosUnidos. Pelo menos sete soldados americanos já perderam a vida noIraque nas últimas duas semanas. Dezenas de soldados americanosforam mortos ou feridos numa série de ações rebeldes contra asforças de ocupação dos Estados Unidos desde o fim da guerra quedepôs o regime de Saddam, há quase dois meses. Em Tikrit, quase 200 quilômetros ao norte de Bagdá,pistoleiros abriram fogo contra soldados americanos. Os rebeldesestavam armados de armas de pequeno porte e lança-granadas,segundo o Comando Central. Os mais recentes atos de violência demonstram as dificuldadesenfrentadas pela administração civil e pelos soldados americanosem sua luta para restaurar a ordem no país num momento em que osgovernos dos EUA e de seus aliados sofrem com críticas internasaos motivos que levaram à guerra. Ontem, um soldado americano morreu e dois ficaram feridos numacidente automobilístico nas proximidades da capital iraquiana. Ainda neste sábado, a Austrália - um dos membros da coalizãoanglo-americana que invadiu o Iraque - buscou distanciar-se dasacusações feitas aos governos de Estados Unidos e Grã-Bretanhacom relação à suposta manipulação de relatórios do serviçosecreto para provocar a guerra. A controvérsia gira em torno de relatórios segundo os quais oregime de Saddam Hussein possuía armas de destruição em massa. Oargumento foi a principal justificativa dos EUA e de seusaliados para a invasão do Iraque. No entanto, após semanas deinspeções, nenhuma arma de destruição em massa foi encontradaaté o momento. "Não houve manipulação das recomendações de espionagem porparte do governo liderado por mim", garantiu em Adelaide oprimeiro-ministro da Austrália, John Howard.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.