Novo ataque suicida seria em Paris, diz polícia espanhola

A Espanha revelou na noite desta sexta-feira que o argelino Mohammed Belaziz, 33 anos, seria o coordenador de um novo ataque suicida contra norte-americanos, desta vez em Paris, na Embaixada dos Estados Unidos. A polícia espanhola prendeu Belaziz no dia 26 de setembro e diz que anotações, desenhos, fitas de vídeo e outras evidências encontradas são suficientes para confirmar o plano, que poderia ser executado por um homem-bomba ou com o seqüestro de um helicóptero e sua colisão com o prédio da embaixada. Três pessoas formariam o grupo de suicidas, segundo a rede norte-americana de TV ABC apurou junto a fontes da inteligência dos EUA e Europa. Conforme as fontes, este atentado seria parte de um plano mais ambicioso envolvendo outros alvos ocidentais, como o quartel-general da Otan, em Bruxelas, a sede do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, além de instalações dos Estados Unidos na França, como o Centro Cultural dos Estados Unidos em Paris e o consulado em Marselha. Agentes da CIA já desembarcaram em Madri para recolher provas e integrar as investigações sobre o grupo de Belaziz, que seria um líder nos moldes de Mohamed Atta, tido como o coordenador dos ataques do dia 11 de setembro nos EUA. Entre as evidências descobertas pela polícia espanhola estão o desenho de um homem com uma bomba presa à cintura e fitas de vídeo com aproximadamente 30 horas de gravações, dando instruções passo-a-passo para ataques-surpresa e registrando atentados como o sofrido por soldados russos na Chechênia. As fitas estavam escondidas na máquina de lavar de Belaziz. A captura do argelino foi possível, segundo fontes dos serviços secretos, depois da prisão de Djamel Beghal, homem de Osama bin Laden, e a conseqüente divulgação de nomes e listas de possíveis alvos de ataques. Há pelo menos 50 suspeitos detidos na França, Espanha, Bélgica e Holanda. Leia também: FBI e CIA advertem para alto risco de um novo atentado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.