Novo bombardeio noturno causa morte de 6 palestinos em Gaza

Número de mortos já passou de 300 após 12 dias de operação militar israelense

EFE, O Estado de S. Paulo

19 de julho de 2014 | 09h37

 GAZA - Pelo menos seis palestinos morreram e outros 20 ficaram feridos em um novo ataque aéreo noturno israelense durante a segunda noite da incursão militar terrestre na Faixa de Gaza, informaram neste sábado, 19, fontes médicas e testemunhas.

O porta-voz do Ministério da Saúde de Gaza, Ashraf al Qedra, informou que as mortes ocorreram na cidade de Khan Yunes, no sul do território palestino, uma das mais castigadas desde o início da ofensiva em 8 de julho.

Segundo testemunhas, um grupo de pessoas estava sentado perto de suas casas quando um míssil israelense os atingiu, matando seis jovens no local.

O número de mortes já passou de 300 após 12 dias de operação militar. Cerca de dois terços das vítimas são civis, inclusive mulheres e crianças, lembraram fontes médicas.

O Ministério da Saúde de Gaza disse, em entrevista coletiva, que mais de 1,3 mil pessoas foram feridas somente pelo disparo de mísseis e artilharia e advertiu que esse número pode aumentar muito se Israel não parar com sua ofensiva.

Entre os israelenses, um soldado morreu no primeiro dia da incursão terrestre, a segunda vítima de Israel desde o início da operação Limite Protetor, que também deixou sete feridos da mesma nacionalidade.

Desde então, segundo o Exército, 1.637 foguetes foram lançados pelas milícias palestinas contra território israelense. Destes, 340 foram interceptados pelo sistema antimísseis "Domo de Ferro".

Durante as primeiras 24 horas de combate terrestre, o Exército israelense atacou por terra, mar e ar 240 posições islamitas, entre elas, cerca de dez túneis com mais de 20 saídas na Faixa de Gaza. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.