Novo cessar-fogo na Libéria; Taylor ameaça não renunciar

Enquanto os rebeldes anunciavam em Monróvia novo cessar-fogo, o mais recente dos últimos dias enquanto prosseguem os combates, o porta-voz do presidente Charles Taylor disse que o mandatário está considerando voltar atrás em sua promessa de renúncia, alegando que tal anúncio só encorajou os ataques dos insurgentes. Indignados com a tomada de Buchanan, a segunda cidade do país, pelos rebeldes, Taylor e membros de seu governo estão reconsiderando ?a validade da abertura do presidente à possibilidade de vir a renunciar?, disse seu porta-voz, Vaanii Paasawe. Taylor, um ex-senhor da guerra responsabilizado por 14 anos de instabilidade política na Libéria e acusado por um tribunal da ONU por crimes de guerra na vizinha Serra Leoa, havia dito em junho que deixaria o poder. Por outro lado, os rebeldes - que divulgaram o novo cessar-fogo logo após o pedido feito pelos EUA para que deixassem Monróvia e liberassem o porto da cidade para a entrada de víveres - insistiram em que manterão o cerco à capital até a chegada das forças de paz.

Agencia Estado,

29 Julho 2003 | 13h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.