Jaime Reina/AFP
Jaime Reina/AFP

Coronavírus não foi criado pelo homem nem modificado geneticamente, afirma inteligência dos EUA

Comunicado do Diretor da Inteligência Nacional (Odni) nega teorias conspiratórias veiculadas por ativistas anti-China e alguns apoiadores de Trump

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2020 | 17h14

WASHINGTON - Os serviços de inteligência dos Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira, 30, terem chegado à conclusão de que o novo coronavírus teve origem na China, mas "não foi criado pelo homem, nem modificado geneticamente".

“A Comunidade de Inteligência (IC) também concorda com o consenso científico abrangente de que o vírus da covid-19 não foi feito pelo homem ou geneticamente modificado”, disse o Odni em comunicado.

A conclusão nega teorias conspiratórias veiculadas por ativistas anti-China e alguns apoiadores do presidente dos EUA, Donald Trump, que insinuam que o novo coronavírus foi desenvolvido por cientistas chineses em um laboratório de armas biológicas, do qual acabou escapando.

Funcionários dos serviços de inteligência dos EUA se queixaram nesta quinta-feira de que a Casa Branca vem colocando pressão para que agências de espionagem americanas encontrem provas de que a China criou e espalhou intencionalmente o coronavírus. Os relatos, publicados nesta quinta-feira, 30, pelo New York Times e pelo Washington Post, mostram que Donald Trump intensificou seu esforço para culpar o governo chinês pela pandemia.

“A IC continuará a examinar rigorosamente as informações que surgirem para determinar se o surto começou através do contato com animais infectados ou se foi o resultado de um acidente em um laboratório de Wuhan”, acrescenta o texto.

Segundo a imprensa americana, Trump pediu aos serviços de inteligência que determinassem a origem do vírus, atribuído a um mercado de Wuhan antes do surgimento de suspeitas de falha de segurança em um laboratório daquela cidade.

O comunicado público foi divulgado depois que Trump afirmou não descartar a possibilidade de pedir uma compensação a Pequim pela pandemia.

Segundo uma pesquisa recente da Pew Research, 29% dos americanos acreditam que o vírus foi criado em laboratório e, destes, 23% acham que intencionalmente.

Autoridades norte-americanas a par de relatórios e análises de inteligência estão dizendo há semanas que não acreditam nas teorias conspiratórias.

Trump, que culpa a China pela pandemia global, disse nesta quinta-feira que acredita que a maneira como a China está lidando com o coronavírus prova que esta “fará tudo que puder” para impedi-lo de se reeleger em novembro.

Mais de 3,21 milhões de pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus no mundo, e 227.864 morreram, de acordo com uma contagem da Reuters nesta quinta-feira.

Em uma entrevista concedida à Reuters no Salão Oval, Trump falou da China com dureza e disse que está estudando diversas opções em termos de consequências para Pequim em relação ao vírus. “Posso fazer muita coisa”, afirmou, sem dar detalhes. /AFP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.