Novo dia de violência deixa pelo menos 27 mortos no Iraque

Um militante suicida dirigiu um carro-bomba na direção de um comboio militar americano em Beiji, uma cidade do norte do Iraque, matando pelo menos 10 pessoas. Em Faluja, a oeste de Bagdá, 10 rebeldes morreram em menos de 15 minutos de tiroteio, disseram militares americanos. A onda de violência se estendeu a Ramadi, a oeste de Faluja, onde choques deixaram mais sete mortos e 13 feridos, disseram funcionários de hospitais. A escalada de violência iniciada depois da ofensiva militar americana contra a cidade de Faluja, um baluarte sunita convertido em símbolo da resistência iraquiana à presença de tropas estrangeiras, transformou novembro em um dos meses mais sangrentos desde a invasão do Iraque liderada pelos Estados Unidos, em março de 2003. Em Faluja, disparos de metralhadora e explosões eram ouvidos nas regiões central e sul da cidade enquanto fuzileiros navais americanos perseguiam os rebeldes. Em Jolan, na zona norte de Faluja, soldados americanos entraram em choque com milicianos que, segundo autoridades, retornaram à cidade atravessando a nado o Rio Eufrates. Forças americanas também entraram em choque com rebeldes no centro de Ramadi, a oeste de Faluja. O confronto durou cerca de três horas. Funcionários de hospitais dizem que sete pessoas morreram e 13 ficaram feridas nos choques, que provocaram incêndios em dois edifícios residenciais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.