Novo diretor da Yukos é russo com cidadania americana

A empresa petrolífera russa Yukos designou hoje um novo diretor-geral em substituição ao magnata Mikhail Khodorkovski, cuja prisão por fraude e evasão fiscal é vista por muitos como uma manobra política. Khodorkovski renunciou na segunda-feira, alegando que queria evitar o escândalo à empresa. Simon Kukes, ex-presidente e diretor-executivo da empresa Tyumen Oil Company, conhecida pelas siglas TNK, foi escolhido como novo diretor da Yukos, mas sua indicação ainda deverá ser aprovada pelo Conselho Administrativo da Yukos. Kukes, de 56 anos, que nasceu em Moscou, mas tem cidadania americana, havia sido eleito presidente do Conselho Administrativo da Yukos em junho. Ele é um especialista reconhecido no setor e um dos poucos dirigentes de empresa russos que domina os métodos de administração ocidentais. A Yukos também nomeou outros dois americanos: Steven Theede, como diretor-gerente da Yukos-Moscou, e Bruce Misamore, diretor financeiro da petrolífera. Os executivos disseram em uma entrevista coletiva que continuarão com a política fixada por Khodorkovski, considerado o homem mais rico da Rússia, que estava financiando candidatos da oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.