Novo Governo da Argélia nomeia seu primeiro-ministro

Após renúncia, Ahmed Ouyahia é escolhido pelo novo presidente argelino, Abdelaziz Bouteflika

Efe

15 de novembro de 2008 | 16h57

Ahmed Ouyahia foi nomeado primeiro-ministro do novo Governo da Argélia, segundo a decisão do presidente argelino, Abdelaziz Bouteflika, de que ele continue no cargo, anunciou neste sábado, 15, um comunicado oficial.   A nova Constituição do país africano, aprovada por maioria durante uma sessão extraordinária das duas Câmaras do Parlamento na quarta-feira passada e oficialmente promulgada neste sábado pelo chefe de Estado, extinguiu o cargo de chefe de Governo e o substituiu pelo de primeiro-ministro.   Ouyahia havia apresentado a renúncia a seu gabinete esta manhã, antes de ser nomeado primeiro-ministro.   Todos os ministros foram confirmados em seus cargos, exceto o titular de Comunicação, Abderrachid Boukerzaza, que foi substituído por Azzedine Mihoubi, até então diretor-geral da rádio do Estado.   O Ministério de Comunicação também sofreu uma mudança e foi transformado em Secretaria de Estado em torno do primeiro-ministro.   Bouteflika encarregou Ouyahia de apresentar seu plano de ação para a aplicação do programa presidencial às duas Câmaras.   As duas Câmaras, segundo as disposições da nova Constituição, têm a possibilidade de desaprovar o plano de ação em questão, o que causaria a destituição do primeiro-ministro.   A principal novidade na Constituição argelina consiste no cancelamento da limitação dos mandatos presidenciais, o que permite ao atual chefe do Estado disputar um terceiro comando à frente do país.   A Constituição, revisada em 1996 sob o poder do então presidente Liamin Zerual e mudada agora po proposta de Bouteflika, limitava os mandatos do presidente a cinco anos, com direito a uma reeleição.

Tudo o que sabemos sobre:
Argélia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.