Novo governo da Grécia deve cumprir acordos com credores, diz Schäuble

O ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, disse que um eventual novo governo da Grécia terá de respeitar os acordos feitos por predecessores com os credores internacionais do país. O comentário vem num momento em que Atenas corre o risco de ter de convocar eleições gerais antecipadas que podem trazer ao poder um partido que se opõe ao regime de austeridade imposto aos gregos em troca de ajuda financeira.

Estadão Conteúdo

27 de dezembro de 2014 | 08h38

Nesta segunda-feira (29), a Grécia vai tentar eleger um novo presidente numa terceira votação no Parlamento. Nas duas primeiras rodadas de votação, o candidato de Atenas foi rejeitado. Se fracassar, o governo terá de convocar eleições parlamentares. O Syriza, partido esquerdista de oposição que defende a renegociação do programa de ajuda concedido ao país, lidera nas pesquisas de opinião.

Em entrevista ao jornal alemão Bild, Schäuble disse que continuará apoiando a Grécia em seu "trajeto de duras reformas", mas ressaltou que, se Atenas escolher tomar outro caminho, "será difícil".

Segundo Schäuble, "novas eleições não vão mudar as dívidas da Grécia". "Qualquer novo governo deve cumprir os acordos legais de seus predecessores", disse à publicação alemã. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
AlemanhaGréciaSchäuble

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.