Novo governo do Japão tem ex-modelo, mas poucas caras novas

Seis novos ministros foram apresentados, os outros permanecem em seus postos

Efe,

08 de junho de 2010 | 05h23

TÓQUIO - O novo governo japonês anunciado nesta terça-feira, 8, pelo primeiro-ministro, Naoto Kan, tem uma média de idade de 59 anos e inclui duas ministras (entre elas uma ex-modelo e ex-apresentadora) e só seis caras novas em relação ao governo que está de saída.

 

As ministras são a responsável de Justiça, Keiko Chiba, uma detratora da pena capital que segue em seu posto, e uma nova incorporação à frente da Reforma Administrativa: a senadora Renho, midiática ex-apresentadora e ex-modelo de ascendência taiuanesa que deve ser a sensação do novo Executivo.

 

As demais mudanças foram praticamente obrigatórias com a chegada ao governo de Naoto Kan, de 63 anos, que até agora ocupava os cargos de vice-primeiro-ministro e titular de Finanças.

 

A importante de Finanças fica a cargo de seu até agora vice-ministro Yoshihiko Noda, de 53 anos, defensor da disciplina fiscal para um país que tem a maior dívida pública do mundo desenvolvido, que duplica o PIB japonês.

 

O ministro porta-voz é Yoshito Sengoku, um político próximo a Kan, cuja nomeação procura mostrar distância com a anterior executiva do Partido Democrático (PD), dominada pelo poderoso Ichiro Ozawa, admirado e odiado a partes iguais no Japão.

Kan foi eleito na sexta-feira primeiro-ministro pela Dieta (Parlamento), mas preferiu esperar até esta terça para anunciar seu governo.

Tudo o que sabemos sobre:
Japão, postos, ministros, governo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.