Narendra Shrestha/EFE
Narendra Shrestha/EFE

Novo grande terremoto é sentido no Nepal

Tremor de magnitude 7,3 ocorreu perto da fronteira com a China e pôde ser sentido na Índia; há 2 semanas terremoto matou 7.800

O Estado de S. Paulo

12 de maio de 2015 | 06h35

(Atualizada às 15h30) KATMANDU - Um novo terremoto, de magnitude 7,3 na escala de Richter, atingiu nesta terça-feira, 12, o Nepal, 17 dias após o terremoto de magnitude 7,8 que deixou 7.800 mortos e devastou partes do país. Segundo o Ministério do Interior, ao menos 42 pessoas morreram nesta terça e mais de mil ficaram feridas. 

O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês) informou que pelo menos oito réplicas foram sentidas no país, uma delas de magnitude 6,3, ocorrida meia hora depois do terremoto.

O epicentro do tremor ocorreu perto da fronteira com a China, a 76 quilômetros ao leste de Katmandu - mesma região que foi a mais afetada pelo tremor do dia 25 - e a 18,5 Km de profundidade. No norte da Índia também foi possível sentir o tremor, principalmente em Nova Délhi, onde prédios tremeram. 

O governo da China informou que uma pessoa morreu e duas ficaram feridas na região do Tibete. Na Índia, segundo informações oficiais, 17 pessoas morreram.

O Ministério do Interior do Nepal informou por meio do Twitter sobre um tremor com epicentro entre Dolakha e Sindhupalchowk, sendo que, nesta última localidade, ocorreram mais de um terço das mortes registadas até agora por consequência do terremoto do dia 25.

Reconstrução. O Nepal ainda tenta se recuperar do terremoto de duas semanas atrás, que deixou mais de 15 mil feridos e milhares de casas danificadas.

As autoridades do país, em colaboração com organizações internacionais, tentam levar ajuda às famílias nas regiões do Vale de Katmandu, onde a maior parte das vítimas foram contabilizadas até ao momento, além de fazer com que alimentos e apoio médico cheguem aos locais mais afastados.

O terremoto de 25 de abril foi o de maior magnitude a sacudir o Nepal em 80 anos e o pior na região do Himalaia numa década. Em 2005, outro terremoto deixou mais de 84 mil mortos na região de Caxemira. /AFP, AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.