Novo julgamento de Mubarak é adiado para 8 de junho

O novo julgamento do ex-presidente do Egito Hosni Mubarak foi adiado para 8 de junho. A decisão foi tomada neste sábado pelo presidente da corte criminal, o juiz Mahmoud Kamel al-Rashidi. Mubarak, seu ministro do interior Habib al-Adly, e seis chefes da segurança serão julgados pelo assassinato e tentativa de assassinato de centenas de manifestantes em janeiro de 2011.

MARCELLE GUTIERREZ, Agência Estado

11 de maio de 2013 | 10h52

O antigo presidente e seus filhos, Gamal e Alaa, também serão julgados por corrupção. O magnata Hussein Salem será julgado à revelia. O julgamento estava originalmente marcado para 13 de abril e fora adiado para este sábado, 11.

Mubarak foi deposto em 2011 e agora o país tenta avançar com o novo regime do presidente islâmico Mohamed Morsi, eleito em junho. Atualmente, o mandato de Morsi é marcado pela polarização política, violência e crise econômica.

O líder deposto foi considerado culpado e sentenciado à prisão em junho do ano passado pela morte de 846 pessoas durante a revolução do Egito. Mas a mais alta corte do Egito aceitou novo julgamento após apelação de Mubarak por falhas nos processos.

Após meses de rumores sobre a saúde do ex-presidente, Mubarak foi transferido em abril de um hospital militar de volta para a prisão, a pedido do Ministério Público, que considerou seu estado de saúde estável. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoMubarakjulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.