Novo líder do Partido Trabalhista de Israel promete segurança

Ehud Barak propõe atacar ainda a corrupção entre funcionários de alto escalão

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 11h59

Ehud Barak, o novo líder do Partido Trabalhista de Israel, prometeu nesta quarta-feira, 13, que fortalecerá o dispositivo de segurança e devolverá a Israel sua capacidade de dissuasão militar. O recém-eleito líder obteve 51,24% dos votos no segundo turno das primárias. A vitória de Barak foi garantida pelos eleitores dos kibutz, da comunidade árabe e da comunidade drusa. "Começa a marcha para corrigir os erros no dispositivo de segurança", afirmou Barak a respeito de falhas cometidas no conflito do ano passado contra a milícia xiita libanesa Hezbollah. A luta contra a corrupção também é uma bandeira de Barak. O líder do Partido Trabalhista de Israel fez menção a "impor o império da lei em Israel". O tráfego de influência é uma preocupação entre funcionários de alto nível. Dos mais de 67 mil votos do segundo turno eleitoral do Partido, o adversário de Barak, Ami Ayalon, de 62 anos e ex-chefe da Força Naval e do Serviço de Segurança Geral (Shin Bet), recebeu quase 48%. O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, cujo partido, o Kadima, forma a coalizão de governo com os trabalhistas, deverá nomear Barak como novo ministro da Defesa. Ayalon deverá assumir outra função de importância em seu gabinete. Amir Peretz, atual ministro da Defesa e que está deixando o comando do Partido Trabalhista, continuará no Governo mas como ministro sem pasta ou num Ministério de menor hierarquia. Barak deverá ser um dos maiores rivais do ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, líder do Partido nacionalista Likud e chefe da oposição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.