Susan Montoya Bryan/AP
Susan Montoya Bryan/AP

Novo México vai colaborar com interrogatórios de imigrantes

Decisão ocorre no momento em que legislativo estadual debate medidas para limitar efeitos de decreto migratório de Trump

O Estado de S.Paulo

11 de março de 2017 | 05h27

ALBUQUERQUE - A governadora do Novo México, a republicana Susana Martínez, ordenou nesta sexta-feira, 10, que o departamento penitenciário estadual colabore com as autoridades federais no exame de status de imigração de detidos. O gabinete da governadora disse a decisão atende pedido do governo de Donald Trump.

Os interrogatórios das autoridades têm como objetivo acelerar a potencial deportação de imigrantes suspeitos de estar ilegalmente no país, disse o porta-voz da governadora, Michael Lonergan. "Este é um assunto de segurança pública, dado que estes são todos delinquentes condenados, muitos de caráter violento", afirmou.

O porta-voz disse ainda que aqueles imigrantes presos que as autoridades federais considerarem em situação irregular serão deportados com rapidez após cumprir suas condenações.

O Novo México identificou 124 presos nascidos fora do país. 

O grupo ativista em defesa dos direitos dos imigrantes 'Somos um Povo Unido', com sede em Santa Fé, indicou em um comunicado que não crê que a notícia reflita uma mudança da política. "O Novo México segue em um sistema de justiça penal já sobrecarregado e desvia os escassos recursos para a aplicação de um sistema que não funciona", disse o grupo.

A decisão ocorre no momento em que o legislativo do Novo México, controlado pelos democratas, debate medidas que proíbam que as agências estatais colaborem com o governo Trump com a implementação de leis federais de imigração. / ASSOCIATED PRESS

Tudo o que sabemos sobre:
Donald TrumpSanta FéASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.