Novo ministro do Egito mostra cautela sobre empréstimo do FMI

O Egito não está pronto para uma decisão sobre o financiamento do Fundo Monetário Internacional (FMI), declarou o governo neste sábado em um comunicado que nomeava Mumtaz al-Saeed como o novo ministro das finanças do país.

TOM PFEIFFER E TAMIM ELYAN, REUTERS

03 de dezembro de 2011 | 15h52

"Em relação ao acordo com o FMI para o fundo de 3,2 bilhões de dólares, que é o acordo que foi suspenso devido aos recentes acontecimentos, al-Saeed disse que ainda é muito cedo para saber o futuro desse empréstimo," afirmou o Ministério das Finanças.

O governo interino, que tem feito lobby para conseguir fundos estrangeiros para reforçar o déficit orçamentário crescente, renunciou no mês passado e o novo primeiro-ministro escolhido pelo governo militar do país, Kamal al-Ganzouri, ainda vai anunciar, formalmente, o novo gabinete.

Diversos nomes de ministros vazaram para a mídia local durante o final de semana, inclusive o de al-Saeed. Ganzouri havia prometido que teria todos os nomes do seu ministério até sábado, mas a agência de notícias oficial, MENA, disse que ele agora precisa reconsiderar.

A declaração do Ministério das Finanças parecia confirmar a saída de Hazem el-Beblawi, que disse na quarta-feira que não havia sido abordado para permanecer do cargo.

Belawi, que foi nomeado em julho, tem lutado para conseguir ajuda estrangeira para financiar o Egito.

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOFMIEMPRESTIMO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.