Novo pedido de cassação é feito contra presidente das Filipinas

Gloria Macapagal Arroyo já passa por quarto processo desde que assumiu a presidência em 2001

EFE

13 de outubro de 2008 | 10h15

Um grupo de deputados opositores filipinos pediu hoje a abertura de um novo processo de cassação contra a presidente, Gloria Macapagal Arroyo, por escândalos atribuídos a sua família e próximos. Sob fortes medidas de segurança, os deputados foram ao Parlamento para apresentar a moção liderados pelo ex-presidente do Congresso José de Veneza, antigo aliado de Arroyo e que se virou contra ela por causa do envolvimento de seu filho em um caso de desvio de fundos públicos. A moção pede a cessação da chefe do Estado por suposta fraude eleitoral nas eleições de 2004, pelo perdão das violações dos direitos humanos por parte de alguns militares e por tentar emendar a Constituição para poder se apresentar como candidata a um terceiro mandato. Trata-se do quarto processo de cassação apresentado contra Arroyo desde que a governante assumiu o poder em janeiro de 2001, após a queda de Joseph Estrada. No entanto, a maioria parlamentar de seus aliados torna pouco provável que a moção prospere.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.