Novo premier da Tailândia promete unir o país

O ex-comandante do Exército general Surayud Chulanont prometeu neste domingo, ao assumir como primeiro-ministro interino da Tailândia, resolver uma sangrenta insurgência muçulmana e unir um país dividido pelas políticas de seu derrubado antecessor, Thaksin Shinawatra."Foi a injustiça que causou problemas na política e no sul", afirmou Surayud, referindo-se às divisões provocadas por Thaksin que resultaram no golpe militar de 19 de setembro e a uma insurgência muçulmana no sul do país. "Peço a todos que ajudem a resolver os dois problemas, e a unidade é necessária para lidar com eles".Surayud, o 24º primeiro-ministro do país, também tentou diferenciar-se do passional, pró-mercado, Thaksin, garantindo que irá buscar o equilíbrio entre o necessário crescimento econômico e a felicidade do povo. "Vou concentrar-me mais na auto-suficiência do que no PIB", adiantou. Thaksin estava em Nova York no momento do golpe palaciano, e agora vive em Londres.Apesar de Surayud também ter endossado a realização de eleições no ano que vem, uma Constituição provisória anunciada neste domingo reserva considerável poder aos golpistas.Pela Carta, aprovada pelo rei, o conselho militar ganhou poderes para afastar o primeiro-ministro, aprovar a escolha do presidente da Assembléia Nacional e ter a palavra final sobre o comitê de 100 integrantes que redigirá a próxima constituição.O documento interino, que substitui a carta de 1997 abolida quando os militares tomaram o poder, também concede "total imunidade" aos líderes golpistas pela derrubada do governo.A posse de Surayud, de 63 anos, foi feita após seu nome ter sido aprovado pelo rei Bhumibol Adulyadej, como era esperado. O ministério deve ser anunciado no fim da semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.