Novo presidente assume poder em Honduras

Em uma cerimônia realizada em Tegucigalpa, capital hondurenha, assumiu hoje o cargo de presidente do país o empresário Ricardo Maduro, do Partido Nacional (PN, de direita), 55 anos. Convidados e delegações de 71 países e organismos internacionais compareceram à cerimônia de posse, que aconteceu nas ruínas de Copán. Maduro chega ao poder com a promessa de combater a criminalidade que assola o país centro-americano, da qual sua própria família já foi vítima. Em 1997, seu único filho homem foi seqüestrado e morto, na cidade de San Pedro Sula, no norte do país. O novo presidente prometeu também diminuir a burocracia nas instituições do Estado, as viagens ao exterior e os salários de alguns funcionários públicos. Seus críticos apontam que ele não dá o exemplo, já que a cerimônia de posse custou cerca de US$ 2,5 milhões. Formado em economia pela Universidade de Stanford (Califórnia, EUA), Maduro começou a carreira política há 15 anos. Ele foi presidente do Banco Central durante o governo de Rafael Callejas (1990-1994), de quem foi diretor de campanha presidencial. No comando do Banco Central, liderou a reestruturação econômica neoliberal, o primeiro programa de ajuste estrutural para reduzir os desequilíbrios financeiros. Relações com Cuba - Carlos Flores, o ex-presidente que acabou de deixar o cargo, restabeleceu este sábado, algumas horas antes de deixar o poder, as relações diplomáticas plenas com Cuba, suspensas desde o distante ano de 1961. Honduras havia suspenso suas relações diplomáticas com Cuba há 41 anos, no marco das sanções que a Organização de Estados Americanos (OEA) impôs ao país caribenho.

Agencia Estado,

27 Janeiro 2002 | 02h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.