Novo presidente da Guatemala quer Exército contra o tráfico

O presidente eleito daGuatemala, Álvaro Colom, disse na segunda-feira que pretendeusar as Forças Armadas contra os traficantes que controlamregiões inteiras do país, assim como faz o vizinho México. Colom, um centro-esquerdista eleito no segundo turnoeleitoral de domingo, afirmou que há falta de vigilância tantono litoral do Atlântico quanto o do Pacífico, pontos depassagem para a cocaína levada da América do Sul para osEstados Unidos. Sobre a possibilidade de usar o Exército, Colom disse àReuters: "Não só pode ser. Vai acontecer". O conservador Felipe Calderón tomou essa medida paracombater o narcotráfico depois de assumir a presidência doMéxico, em dezembro. "[Nas áreas sob controle do tráfico] não se pode entrar sócom a polícia. Aí tem de se entrar com o Exército, comooperação de guerra, se você quiser realmente recuperar oterritório", acrescentou. Atualmente, o Exército guatemalteco é usado esporadicamenteem operações antidrogas, mas sobretudo atua com a polícia embairros da capital onde a criminalidade está fora de controle. Colom, um ex-dirigente empresarial de 56 anos, sucederá aoliberal Óscar Berger a partir de 14 de janeiro, com mandato dequatro anos. (Por Anahí Rama)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.